O REI DOS LOUCOS

0
160
O Rei dos Loucos
Foto: Freepik

O mundo se tornou um grande hospital psiquiátrico onde os loucos passeiam em liberdade. Cada país elege o seu chefe, o Rei dos Loucos. Para evitar que o rei dos loucos fique entediado ele recebe brinquedos; soldadinhos, caminhões, tanques, misseis, canhões e aviões. Então, os Reis dos Loucos do mundo inteiro fazem a comparação de seus brinquedos.

-Você viu só o meu submarino.

-E você, já viu o alcance dos meus mísseis.

Todas as noites eles brincam até tarde; criam a bomba. Empurram seus soldadinhos que desaparecem sob os estilhaços de armas e quando não há mais nenhum, são substituídos por outros. Assim, os reis dos loucos trocam de brinquedos.

-Te empresto meu petróleo.

-Negócio feito, mas você me dá a tua bomba de nêutron.

-Tudo bem, me dá teu urânio e te darei meus caminhões cheios de soldadinhos.

Mas, existem também reis que não tem nada para trocar. Não possuem brinquedos e mal tem o que comer. Apenas tem direito a um pequeno lanche a tarde e que deve ser dividido em várias partes. É a vida do terceiro mundo. E os reis dos loucos do mundo inteiro querem se divertir então jogam sementinhas de partículas atômicas sobre este pobre reino.

De vez em quando, chega um médico que quer tratar os loucos. É chamado de “Prêmio Nobel da Paz”. Ele recebe uma medalha que é colocada na lapela, no lugar do coração e cujo brilho intenso pode servir de mira para eliminá-lo.

E a vida continua.

Os reis dos loucos do mundo inteiro são cercados por débeis que eles escolhem. O primeiro débil, o débil das finanças, o débil dos exércitos e a isto se dá o nome de Um Governo.

Assim, no mundo inteiro, os débeis dão conselhos aos reis dos loucos para governar os idiotas. E os idiotas somos nós, sempre. Mas se todos os idiotas do mundo quisessem se dar as mãos, os reis dos loucos seriam obrigados a quebrar seus brinquedos, seus tanques, seus canhões e finalmente poderíamos passear em paz nos jardins da terra que são tão lindos quando não há guerra.